Sexta, 24 Setembro 2021

Desceu quadrada

magnomalta_carta_redesociais Redes sociais
Redes sociais

Nas primeiras horas após a carta-recuo do presidente Jair Bolsonaro, no final da tarde dessa quinta-feira (9), em que foi obrigado a voltar atrás das declarações de ataques às instituições e inclusive elogiá-las, devido à incorrência de crime de responsabilidade, as redes sociais de seus principais seguidores no Estado, ao contrário do registrado em âmbito nacional, nada disseram diretamente sobre o documento, redigido por ninguém menos do que Michel Temer (MDB). Alguns, como o ex-deputado federal Carlos Manato (sem partido), que circula pelo Estado como candidato do presidente ao governo em 2022, nem publicações fizeram. A maioria, porém, tentou repetir críticas feitas até então, como se absolutamente nada tivesse acontecido. Casos do ex-senador Magno Malta (PL), que publicou vídeo atacando o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Roberto Barroso, a quem chamou de "farsante" e "abortista", como resposta ao duro discurso feito por ele contra o presidente horas antes, seguido de aviso de que "não abandonaremos Bolsonaro", e da deputada federal Soraya Manato (PSL), mantendo no alvo o STF e Barroso. O vice-líder do Governo na Câmara dos Deputados, Evair de Melo (PP), também publicou vídeo, só que da manifestação do dia 7 de Setembro entre Vila Velha e Vitória, quando todas as ameaças golpistas do presidente, que agora ele tenta amenizar, foram repetidas e exaltadas nas ruas. Já o deputado estadual Capitão Assumção (Patri) foi na mesma linha do "com ele até o final, confie no Capitão". Obviamente, Bolsonaro se vale da carta como estratégia, após a sucessão de reações incisivas, do efeito trágico na economia e do seu isolamento político. Por outro lado, poderá não passar ileso das insatisfações de sua base mais estridente, que já cobra a conta. Mas e a ressaca do dia seguinte? As críticas deram lugar aos apelos. Olha só o Magno Malta...

Redução de danos
O ex-senador, como mostra a foto acima, resolveu simplesmente publicar outro vídeo, com Bolsonaro num leito de hospital e ele fazendo uma oração, com os dizeres: "Amigo, eu continuo aqui, Deus te levantou para vencer. Vou te dizer, hein...

Redução de danos II?
Manato, que precisou de uma noite inteira para pensar no que publicar, abriu esta sexta com uma foto ao lado do presidente e a frase: "Nos momentos bons e ruins, estamos juntos. Confiamos no senhor, Capitão".

Redução de danos III?
A estratégia foi coletiva. A deputada federal Soraya Manato, depois do engasgo da carta, também iniciou esta quinta no mesmo estilo. "Seguimos juntos, presidente! Conte sempre com o meu apoio e parceria".

Cri, cri, cri...
O deputado federal Neucimar Fraga (PSD), depois de vários vídeos e textos defendendo Bolsonaro e as bandeiras do protesto do dia 7, inclusive em sentido contrário à Nacional do seu partido, até agora, silêncio. Última postagem foi de uma reunião com os representantes do movimento de caminhoneiros que, detalhe, não resolveu nada.

Perdeu validade
No mesmo momento, ele anunciou a entrega de um documento em defesa da "da liberdade democrática e do respeito às instituições do Brasil" ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Mas era ainda aquela "liberdade" dos capítulos anteriores, dos ataques ao STF. Entregou?

De olho
A atenção se volta agora, mais do que nunca, para os protestos deste domingo (12), convocados por movimentos ex-aliados de Bolsonaro, o MBL e o Vem pra Rua. Desde as ameaças golpistas, lideranças se articulavam para ampliar a adesão, formando uma frente ampla pelo impeachment. Nessa quinta, antes da carta, já haviam confirmado presença o presidenciável Ciro Gomes, do PDT de Sérgio Vidigal, prefeito de Serra, e lideranças do centro e até da esquerda, além de centrais sindicais.

De olho II
A bandeira do ato, "Nem Bolsonaro, nem Lula", que pretendia fortalecer uma terceira via para o pleito à Presidência da República em 2022, virou exclusivamente o impeachment, uma condição para ampliar a adesão e a pressão ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que engaveta há muito tempo mais de 120 pedidos, situação inalterada mesmo após o 7 de Setembro.

Quero só ver...
Por aqui, o MBL e o Vem pra Rua realizarão uma carreata no sentido inverso do trajeto tradicional dos atos pró-Bolsonaro. Sairão da Praça do Papa, em Vitória, às 10h, em direção à Praia da Costa, em Vila Velha. No passado, nas manifestações contra o PT, atos puxados por esses grupos eram alvo de cobiça de políticos capixabas. E agora, quem dará as caras? A conferir!

Nas redes
"Bolsonaro é o barril de pólvora que está implodindo o país. Fabricador de crises, viúvo de ditadura, péssimo governante, tiranete desequilibrado. Sua nota é mais uma vergonha para a República. Impeachment para este terrorista!". Senador Fabiano Contarato, da Rede Sustentabilidade.

FALE COM A COLUNA:

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários: 2

Agmarcarioca amigo do mito em Sábado, 11 Setembro 2021 18:55

o candidato ao governo do Estado tem que ser o candidato do povo eu votarei em Sergio Meneguelli se vier candidato

o candidato ao governo do Estado tem que ser o candidato do povo eu votarei em Sergio Meneguelli se vier candidato
JC em Sexta, 17 Setembro 2021 11:20

O Senador Fabiano Contarato está a cada dia mais credenciado para ser o nosso próximo governador. Já é meu pré-candidato. Que venha 2022.

O Senador Fabiano Contarato está a cada dia mais credenciado para ser o nosso próximo governador. Já é meu pré-candidato. Que venha 2022.
Visitante
Sexta, 24 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/