Dólar Comercial: R$ 5,31 • Euro: R$ 6,00
Quarta, 15 Julho 2020

'Assunto encerrado'

rodney_retorno_reproducao Reprodução
Reprodução
A bomba que explodiu na cabeça de Rodney Miranda (Republicanos) é considerado "assunto encerrado" e "matéria vencida" pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). Passado o período de férias forçadas do secretário de Segurança Pública, para acalmar os ânimos depois da divulgação do áudio do primo do governador, Jorge Caiado, que o acusou de grampo e corrupção – suposto desvio de R$ 1 milhão do Corpo de Bombeiros -, ele retorna ao cargo com "apoio, todas as credenciais e condições de poder", como completou Caiado. As investigações sobre o caso correram rápido na Polícia Civil, que nessa quinta-feira (24) anunciou entendimento pelo arquivamento das acusações feitas por Jorge Caiado. Na Assembleia de Goiás, onde discursos pediram abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o áudio, a última informação que se tem é que o deputado Talles Barreto (PSDB) encaminhou a minuta aos demais parlamentares apelando pela necessidade de aprofundar a investigação, e teria, até agora, apoio de 13 (o mínimo são 14). Mas há movimentações da base e oposição. Caso seja efetivada, de fato, o nome é familiar ao Espírito Santo, relacionado ao período que Rodney comandava a mesma pasta e se envolveu em episódio de escuta à Rede Gazeta: CPI do Grampo.

'Assunto encerrado' II
O anúncio de Caiado foi feito em coletiva com a presença de Rodney. O governador falou à imprensa de Goiás que o primo tem "estilo emocional", recebeu as informações e se "excedeu", mas não teve "intenção de prejudicar". Assim, já se fala por lá, também, que Rodney, apesar de ter anunciado acionar a Justiça contra tudo e todos, não deve processar Jorge Caiado.

'Assunto encerrado' III
Na coletiva, teve espaço de sobra para trocas de elogios a todos os atores. Rodney, Caiado e o delegado-geral da Polícia Civil, Odair José, que apresentou o relatório, concluindo não "haver elementos indicativos destes dois tipos penais, peculato e interceptação ilegal". Diante de um cenário tão favorável como esse, Rodney não economizou no confete pra ele mesmo e "toda sua trajetória". Opa, "péra lá", por aqui, há controvérsias!

Guardião
No resumo do resumo, nunca é demais lembrar que a passagem de Rodney pela Sesp, no governo Paulo Hartung, foi marcada por episódios polêmicos, relacionados ao crime do juiz Alexandre Martins, do grampo da Rede Gazeta, e outras denúncias de interceptações clandestinas, o popular "Guardião", o que gerou uma CPI na Assembleia. Depois de pegar fogo, porém, a mesma foi barrada e não chegou à leitura do relatório final. Aqueles conhecidos "mistérios" das relações de poder entre executivo e legislativo...

Segue...
Ao contrário do que acontece agora em Goiás, por aqui, Rodney também "caiu" após o grampo da Rede Gazeta, em 2005. O tempo passou, ele retornou ao cenário político, e o caso não deu em nada.

Abrigo
A ida para Goiás, como se sabe, foi após amargar a derrota à Câmara dos Deputados em 2018. O Rodney que, apesar dos pesares, conseguiu se eleger no Espírito Santo à Assembleia e Prefeitura de Vila Velha, da última vez não passou no teste.

No aguardo
Agora é esperar para ver o próximo obstáculo em Goiás: a oposição no legislativo. Será abafada por esse desfecho exaltado por Caiado ao lado de Rodney? Ou resistirá com a CPI do Grampo II?

PENSAMENTO:
"Estude o passado, se quiser decifrar o futuro". Confúcio

Cai, não cai

Acusações contra Rodney rendem em Goiás. Avisos de exoneração deram lugar a afastamento/férias oficializado nesta segunda
https://www.seculodiario.com.br/socioeconomicas/cai-nao-cai

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 15 Julho 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection