Dólar Comercial: R$ 5,47 • Euro: R$ 6,40
Quinta, 24 Setembro 2020

'Gelo' prolongado

ronaldo_goncalves_TJES TJES
TJES

O presidente do Tribunal de Justiça (TJES), desembargador Ronaldo Gonçalves de Sousa, definitivamente, está "dando de ombros" à Assembleia Legislativa. Quase um mês se passou do ofício encaminhado pelo presidente, Erick Musso (Republicanos), em nome do conjunto de deputados, solicitando informações sobre a polêmica integração de comarcas e, principalmente, uma reunião virtual com o desembargador e os parlamentares para debater e buscar soluções financeiras para a manutenção das unidades judiciárias. Nada aconteceu. O deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM), que vem cobrando resposta toda semana, voltou a falar disso nessa terça-feira (30), reiterando o pedido de "diálogo urgente entre os poderes". Erick informou que reforçou a demanda na véspera e que recebeu de volta um ofício, mas ainda sem sinalização de atendimento às reivindicações da Casa. Nesse meio tempo, já foram registrados novos capítulos do embate que a questão gerou entre o presidente do TJES e o da Ordem dos Advogados no Estado (OAB-ES), José Carlos Rizk, e até decisão liminar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) suspendendo a integração até análise do mérito do procedimento aberto pela Ordem contra o ato do TJES. Agora teve início o recesso forense, que só se encerra em agosto. Se já estava difícil, aí mesmo que a Assembleia, tudo indica, permanecerá no "cri, cri, cri"...

'Gelo' prolongado II
E olha que Theodorico está bem apaziguador. Diria que até demais! Ele defende a união de esforços entre deputados - com emendas -, prefeituras e governo do Estado para somar os R$ 12 milhões anuais necessários para manutenção das 27 comarcas. Nem todo deputado concorda, mas o clima não está dos piores para o presidente do TJES.

Primeiro round
A propósito, diante do que foi considerado uma derrota do desembargador Ronaldo Gonçalves para a OAB, com a decisão do Conselho Nacional de Justiça, o Tribunal se limitou a dizer que "não existe qualquer solução definitiva" nem foi apontada ilegalidade, e "confia que, no mérito, as integrações serão mantidas". Ele vinha minimizando a questão, apontando-a como "política" e "retrocesso".

Folha inchada
No início de junho, em entrevista institucional para se defender da enxurrada de críticas e protestos realizados no interior, o presidente do TJES acreditava que a suspensão não deveria ocorrer, alegando que o próprio CNJ mandou fazer a integração. A liminar, porém, colocou gás na OAB, que critica a restrição do acesso à Justiça e a justificativa de redução de despesas, já que os gastos com pessoal permanecerão inalterados. Veremos o desfecho...

Sobre recessos...
Ao contrário do Judiciário e seguindo o Congresso Nacional, a Assembleia Legislativa suspendeu o seu, que iria do próximo dia 17 a 31 de julho. Motivo: pandemia do coronavírus.

Adiadas
Agora é pra valer. Os dois turnos das eleições municipais deste ano serão realizados nos dias 15 e 29 de novembro (as datas anteriores eram 4 e 25 de outubro). A mudança foi promulgada nesta quinta-feira (2).

Online
Até conseguirem ir às ruas – se é que conseguirão -, os candidatos precisam se virar como podem na internet. No Estado, muitos já entraram com força na onda das lives. Outros continuam dormindo no ponto. Neste ponto, vale lembrar o ditado: "cochilou, cachimbo cai".

Campanha
O coronel Nylton Rodrigues (Novo), secretário de Segurança do governo Paulo Hartung, não está "morto" nas articulações eleitorais. Anunciado há tempos como pré-candidato a prefeito em Vitória, explora as redes sociais para mostrar suas bandeiras, chapas de vereadores, e disparar contra o prefeito Luciano Rezende (Cidadania).

Cloroquina
Nesta quinta, o alvo foi a medida anunciada por Rezende que autoriza uso de medicamentos sem eficácia cientificamente comprovada, leia-se cloroquina. Nylton disse que a decisão do prefeito, que é médico, causa estranheza depois de tantos meses. "É no mínimo omissão ou populismo meramente eleitoreiro".

Legado
O Partido Verde de São Mateus perdeu uma das suas primeiras filiadas, Marlusse Pestana Daher. Primeira mulher vereadora e presidente da Câmara Municipal, ela atuou como defensora pública, promotora e foi uma das fundadoras da Academia Mateense de Letras, que presidiu até 2019. A morte de Marlusse na madrugada desta quinta, aos 79 anos, gerou comoção, notas públicas e homenagens nas redes sociais.

PENSAMENTO:
"Pouca sinceridade é uma coisa perigosa, e muita sinceridade é absolutamente fatal". Oscar Wilde

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 24 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection