Terça, 21 Setembro 2021

Novos arranjos

marcos_vicente_leonardo_sa-2 Leonardo Sá
Leonardo Sá

Entre a euforia de uns e rejeição de outros, o processo iniciado pelo presidente Jair Bolsonaro para se filiar ao Patriota parece ter chegado, definitivamente, ao "final da linha". Com as divergências internas em nível nacional, o próprio já teria desistido da empreitada e investe pesado agora no PP, o que ganhou ainda mais fôlego nesta semana, com as movimentações que culminaram com o anúncio de nomeação do presidente nacional da sigla, senador Ciro Nogueira (PI), para a Casa Civil. O naufrágio no Patriota, por um lado, resolve as contradições estabelecidas no Estado com os posicionamentos do presidente da legenda, deputado estadual Rafael Favatto, que embora se diga apoiador de Bolsonaro, atua alinhado com o governador Renato Casagrande (PSB), que representa, por aqui, o palanque a ser combatido pelos seguidores do presidente. Por outro, mantém os nós no Espírito Santo. O ex-deputado federal Carlos Manato (sem partido) já anunciou sua candidatura ao Palácio Anchieta e sempre repete que se filiará ao mesmo partido de Bolsonaro. Mas o PP, embora abrigue o vice-líder do governo na Câmara Federal, Evair de Melo, tem no comando o secretário de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Marcus Vicente, aliadíssimo de Casagrande. Em maio passado, numa live, Manato manifestou sua "torcida" para a filiação de Bolsonaro ao PP, um "partido estruturado", como apontou, mas com uma condição: a executiva estadual teria que ser entregue a Evair. Qual a chance?

Segue...
Na mesma live, publicada aqui na coluna, realizada entre Manato e Evair de Melo para tratar da visita do presidente ao Estado, o deputado federal respondeu assim ao comentário sobre o PP capixaba: "tenho feito essa tese". Na ocasião, o PP não estava na rota de Bolsonaro como agora.

Choque
As divergências gritantes entre Evair e Marcus Vicente em relação ao governo do Estado já renderam até bate-rebate no jornal A Gazeta, em março. Evair mirou no alvo e atacou, com críticas a Casagrande, e, na sequência, o PP precisou dizer publicamente que não era essa a posição partidária, reforçando a aliança ao projeto político do aliado.

Caminhos
Também neste ano, Evair levantou a possibilidade de representar no Estado o palanque de Bolsonaro, mas, publicamente, não tem feito movimentos tão óbvios nesse sentido, ao contrário de Manato, que disputou nessa condição em 2018 e circula pelo Estado em articulações.

Repeteco
O senador Fabiano Contarato (ainda na Rede) vai repetir sua presença no quarto ato contra o presidente Jair Bolsonaro realizado em Vitória, que será neste sábado (24). Do campo da oposição, ele participou pela primeira vez no último dia 3, quando circulou entre os manifestantes e subiu no trio que sempre acompanha os protestos.

De olho
A propósito, com a adesão do PSB, após decisão da Nacional e convocação da executiva estadual, quais serão as lideranças locais que irão às ruas?

Contra o Fundo
O deputado federal Felipe Rigoni (sem partido) é o único integrante da bancada capixaba que assina o Mandado de Segurança impetrado por parlamentares no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a aprovação do aumento das verbas destinadas ao Fundo Eleitoral, que saltaram para R$ 5,7 bilhões.

Contra o Fundo II
Na ação de Rigoni, que agrega outros seis parlamentares, a defesa é de que a aprovação pelo Congresso Nacional violou o princípio democrático. A outra, movida apenas pelo senador Alvaro Dias (Podemos-PR), aponta desrespeito ao princípio do devido processo legislativo.

Minoria
Dos 13 deputados e senadores do Estado, como já dito aqui esta semana, apenas Rigoni, Helder Salomão (PT) e Neucimar Fraga (PSD) votaram não ao aumento na Câmara. Já no Senado, se posicionaram desta forma Fabiano Contarato (Rede) e Marcos do Val (Podemos).

Nas redes
"E por que não? Já cansou esse revezamento dos mesmos grupos de sempre à frente do governo do Estado". Sergio Majeski, deputado estadual pelo PSB, sobre uma candidatura ao Palácio Anchieta em 2022.

FALE COM A COLUNA:

Ensaios eleitorais

Com anúncios de candidatura ao governo em 2022, Manato já se articula com Magno Malta (PL) e com o PTB, de Roberto Jeferson
https://www.seculodiario.com.br/socioeconomicas/ensaios-eleitorais

'Dois senhores'

No mesmo dia da convenção do Patriota, possível sigla do presidente, mais abismos entre Favatto e os planos bolsonaristas no Estado
https://www.seculodiario.com.br/socioeconomicas/dois-senhores

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 21 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/