Terça, 30 Novembro 2021

Rodoviários suspendem paralisação marcada para a próxima segunda-feira

transcol_serra_secom Secom

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário do Espírito Santo (Sindirodoviários) decidiu não mais paralisar 100% da frota na próxima segunda-feira (13), como anunciado. A mudança de planos foi feita após reunião na tarde desta sexta-feira (10) com o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), que, de acordo a entidade, se comprometeu a defender o retorno dos cobradores aos seus postos de trabalho, pleito que motivou mais uma paralisação na manhã desta sexta-feira (10).

Segundo o diretor do Sindirododoviários, Valdecy Dulcilina, Erick Musso levará a reivindicação da categoria para o governador Renato Casagrande (PSB) e os demais parlamentares. Em vídeo que circula nas redes sociais, o presidente do sindicato, Marcos Alexandre da Silva, comunica a decisão, mas afirma que as paralisações podem ocorrer futuramente, caso se mantenha a suspensão das atividades laborais dos cobradores.

Ele afirma que, na sessão da próxima segunda-feira, os trabalhadores estarão na Assembleia "para mostrar para o governador que realmente precisamos desses postos de trabalho". Valdecy afirma que Erick se comprometeu a defender publicamente, nessa sessão, a reivindicação dos trabalhadores. O assunto promete, portanto, ser mais um ponto de embate entre o deputado e Renato Casagrande, que são ex-aliados, sinalizando para as eleições de 2022.

Ao anunciar a paralisação na próxima segunda-feira, o sindicato afirmou que a decisão foi tomada após o secretário estadual de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, afirmar que não há previsão de retorno dos cobradores para suas funções. "Em conversa que tivemos com cada diretor em suas garagens, está confirmada a paralisação de 100%. População, já está avisado, fique em casa, não saia, porque não vai ter ônibus em 100%", alertou Marcos em um vídeo que circulou nas redes sociais.

Os cobradores estão afastados de seus postos desde maio de 2020, quando em audiência entre o sindicato, a Justiça do Trabalho, o Ministério Público do Espírito Santo (MPES), o Governo do Estado e empresas de ônibus, ficou acordado que seriam garantidos 20 meses de estabilidade para os trabalhadores. Com a ausência dos cobradores, os passageiros passaram a utilizar Cartão GV, o que, segundo argumentou a gestão estadual na época, evita o contágio da Covid-19 por meio do manuseio de dinheiro.

Na manhã dessa quinta-feira (9), os trabalhadores também protestaram. Eles se concentraram em frente à sede do sindicato, na Avenida Vitória, e seguiram em passeata e comboio de ônibus até o Palácio Anchieta, no Centro da Capital. Uma das motivações foi também o atropelamento da fiscal Márcia Helena de Jesus, no último domingo (5), no Terminal de Laranjeiras, na Serra. Ao manobrar o veículo, o motorista acabou atropelando a trabalhadora.

Marcos acredita que o acidente que vitimou a fiscal poderia ter sido evitado se houvesse cobradores no local, uma vez que a função deles não é somente receber o dinheiro e dar o troco. Ele aponta que esses trabalhadores são essenciais para auxiliar, por exemplo, com orientações nas manobras nos pátios dos terminais, garantindo a segurança das pessoas.

Rodoviários do Estado voltam a protestar por retorno dos cobradores

Trabalhadores saíram da Avenida Vitória rumo ao Palácio Anchieta. Cobradores estão afastados desde maio de 2020
https://www.seculodiario.com.br/cidades/rodoviarios-fazem-manifestacao-pelo-retorno-dos-cobradores

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 30 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/