Segunda, 18 Outubro 2021

​Grupo de Trabalho será criado para discutir problemas da Fafi e apontar soluções

fafi_centro_PMV PMV

Os estudantes de Artes Cênicas da Escola Técnica Municipal de Teatro, Dança e Música (Fafi) irão formalizar um Grupo de Trabalho (GT) para elencar os problemas da escola e buscar soluções. A iniciativa foi deliberada em uma reunião com o secretário municipal de Cultura, Luciano Gagno, na noite dessa quinta-feira (27). Segundo um dos alunos, Antônio Marx, eles irão apresentar uma proposta de estruturação do GT para a Secretaria Municipal de Cultura (Semc) na próxima semana.

Uma reunião com o secretário já havia sido marcada anteriormente, mas foi cancelada, uma vez que o gestor alegou que sua agenda "estava cheia". Antônio afirma que a ideia é que o GT conte com participação de representantes de alunos da Fafi, do corpo técnico, da Semc e do Conselho Municipal de Cultura. Quanto à questão da não renovação do contrato do professor Antonio Apolinário, ele informa que o instrutor será contratado para atuar como assistente de direção no espetáculo de formatura da turma do curso técnico de Artes Cênicas, pois ele já vinha acompanhando esse trabalho.

"Não dá para trocar de profissional no meio do caminho. No teatro há todo um acúmulo de trabalho que precisa ser considerado", diz.

Quanto à turma de iniciação teatral, os alunos continuarão tendo aulas com um professor do Centro Cultural de São Pedro. Já sobre as novas contratações, o secretário afirmou que serão feitas em novembro, quando terminam todos os trâmites do processo seletivo.

A reunião com Luciano Gagno foi motivada pela manifestação realizada pelos alunos nessa terça-feira (24). O protesto foi causado pela não renovação do contrato do professor Antonio Apolinário, que expirou em 13 de agosto.

Entretanto, as reivindicações foram ampliadas. O estudante de iniciação teatral, Gabriel Araújo Ferreira, relata que algumas delas são a oferta dos cursos de teatro à tarde e de manhã, uma vez que é ofertado somente à noite. Além disso, os estudantes querem a realização de concurso público para contratação dos professores.

Essa reivindicação leva a um debate que os estudantes querem fomentar, que é a possibilidade de vinculação da Fafi à Secretaria Municipal de Educação (Seme), e não mais à Secretaria Municipal de Cultura (Semc), como é hoje. 

Essa vinculação à Semc, como afirma o grupo, dificulta a realização do certame para contratação de professores efetivos. Antônio Marx ressalta ainda que, diferentemente das escolas ligadas à Seme, a Fafi não tem gestão democrática e conselho de escola e os estudantes não recebem material. Outras queixas são a ausência de pedagogo e de serviços de secretaria durante o turno noturno.

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 18 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/