Segunda, 18 Outubro 2021

Movimento cultural protesta pela revitalização do Carmélia

protesto_Carmelia_divulgacao Divulgação
Mais de 100 pessoas compareceram a um ato público nesta terça-feira (4) em defesa do Centro Cultural Carmélia Maria de Souza, localizado no bairro Mário Cypreste, em Vitória. A mobilização, que reúne principalmente artistas e produtores culturais, se deu a partir do anúncio na última semana de que o imóvel de propriedade da União foi requerido para servir de armazém para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Durante o ato, convocado com o compromisso de uso de máscaras e manutenção de distanciamento entre os participantes, foram feitas intervenções sobre a situação do espaço e a luta por retomá-lo para que volte a ser um importante centro de atividades culturais. Os participantes da ação reuniram uma série de depoimentos de artistas e frequentadores do Carmélia sobre a relação do espaço com suas vidas e afetos, que foram colados na entrada do prédio, que hoje abriga a TVE, emissora pública estadual de televisão.

No dia anterior, o movimento dos artistas se reuniu para definir sobre o ato e também pensar os tipos de ações políticas e jurídicas para deter a transformação do local em galpões de armazenamento. O entendimento é de que há responsabilidade do poder público em todas esferas.

O Centro Cultural Carmélia foi criado em 1986 pelo governo estadual de Gerson Camata, num período de efervescência dos movimentos sociais e culturais diante do período de redemocratização do País. Contando com amplo espaço incluindo teatro, cinema, salas de exposição e atividades em diversas linguagens artísticas, foi um dos espaços de referência para a cultura capixaba por décadas, recebendo também atrações nacionais.

De propriedade da União, o imóvel estava em comodato ao governo estadual, que sem interesse na gestão do espaço, o repassou para a prefeitura de Vitória, mas mantendo os estúdios da TVE no local. O Plano Municipal de Cultura de Vitória de 2014, que prevê ações para os próximos anos, menciona "equipar o complexo do Centro Cultural Carmélia Maria de Souza garantindo sua utilização para programas, projetos e ações artísticas e culturais". Mas o que se vê hoje é uma situação de abandono que perdurou desde esta época. A prefeitura alega não ter recursos para arcar com a reforma do espaço.

Aproveitando-se, a Superintendência de Patrimônio da União (SPU) pediu que o imóvel seja devolvido pela prefeitura para instalar a Conab, que terá de deixar os armazéns do Instituto Brasileiro do Café (IBC), em Jardim da Penha, que devem ir a leilão pelo governo federal. A União realizou um levantamento de imóveis e terrenos públicos de sua propriedade para vender à iniciativa privada, de acordo com a política de privatização capitaneada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

A prefeitura de Vitória foi informada em fevereiro sobre a solicitação da União para retomar o espaço do Carmélia, que era estudado para servir como espaço de apoio para escolas de samba do Estado por meio de uma parceria com a Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesge). Tentou adiar a devolução diante da pandemia do coronavírus, mas com a proximidade do leilão do IBC, previsto para novembro, a União intimou para a devolução do espaço, que já foi visitado por técnicos da Conab.

O movimento liderado pelos artistas está elaborando uma ação civil popular e busca também convencer o Ministério Público a dar início a uma ação civil pública análoga para que o espaço não seja transformado em depósito e seja mantida sua finalidade até então como centro cultural.

O ato foi finalizado com uma ação conjunta gritando as frases que viraram as hashtags nas redes e as palavras de ordem do movimento: "A cultura resiste! O Carméia revive!"

Arquitetos pedem paralisação do leilão dos galpões do IBC

IAB e moradores de Jardim da Penha consideram que espaço a ser leiloado pelo governo federal deve atender interesse público
https://www.seculodiario.com.br/cultura/arquitetos-pedem-paralisacao-do-leilao-dos-galpoes-do-ibc

'É um deboche com a cultura capixaba transformar o Carmélia num depósito'

Artistas e produtores se articulam contra intenção do governo federal no espaço cultural que foi dos mais importantes do Estado
https://www.seculodiario.com.br/cultura/e-um-deboche-com-a-cultura-capixaba-transformar-o-carmelia-num-deposito

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários: 3

Edson Daniel em Terça, 04 Agosto 2020 17:00

Triste e caótica situação da cultura capizaba.

Triste e caótica situação da cultura capizaba.
Marcos em Quinta, 06 Agosto 2020 19:16

Eu queria poder dar um longo abraço em cada uma dessas pessoas que estiveram nesse ato em prol de não deixarque aconteça algo site em um país sério não seria nem cogitado.
Carmelia ❤❤❤

Eu queria poder dar um longo abraço em cada uma dessas pessoas que estiveram nesse ato em prol de não deixarque aconteça algo site em um país sério não seria nem cogitado. Carmelia ❤❤❤
Dauri Correia da Silva. em Quinta, 06 Agosto 2020 22:26

Patrimônio do povo capixaba!

Patrimônio do povo capixaba!
Visitante
Segunda, 18 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/