Dólar Comercial: R$ 5,02 • Euro: R$ 6,11
Terça, 02 Março 2021

Na reta final para retorno das aulas, municípios organizam regras e rodízios

sala_de_aula_sed_20200718-164818_1 Sedu

Um dos assuntos mais debatidos nos últimos tempos pela sociedade capixaba, o retorno das aulas será concretizado na próxima segunda-feira (22) em dois municípios da região metropolitana: Vitória e Vila Velha. Na Serra e em Cariacica, o ano letivo terá início em março. Os municípios, que adotarão o sistema híbrido, ou seja, com parte dos alunos em casa e outra na escola, divulgaram esta semana informações sobre o retorno, como protocolos de segurança, acesso a plataformas virtuais, perfis de escalonamento, entre outros.

Na Capital, no dia 22 acontecerá o retorno das aulas para todos os alunos da rede, Ensino Fundamental, Educação Infantil e Educação de Jovens e Adultos (EJA), em modelo híbrido, com professores nas escolas e alunos em casa. Em primeiro de março, será o retorno presencial das turmas do Ensino Fundamental II (do 6º ao 9º ano) e das turmas da Educação de Jovens e Adultos (EJA). No dia 15 do mesmo mês, haverá retorno presencial das turmas do Ensino Fundamental I (do 1º ao 5º ano). Finalizando março, no dia 29 retornam presencialmente as turmas da Educação Infantil.

No dia 22 as aulas começam em Vila Velha de forma remota. O cronograma para o retorno presencial, dentro do formato híbrido, começará no dia primeiro de março, com rodízio de estudantes do 9º ano do ensino fundamental e 8ª série da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Já no dia 15 de março, é a vez dos alunos do 5º ao 8º ano do ensino fundamental e da 5ª a 7ª séries da EJA. No dia 29, as aulas presenciais com rodízio serão para os estudantes do 1º ao 4º ano do ensino fundamental e da 1ª a 4ª séries da EJA.

Atividades de Acolhimento

Em Vitória, na primeira semana os professores estarão presencialmente nas escolas e os alunos, em casa. Segundo a secretária municipal de Educação, Juliana Rohsner, nessa semana acontecerão atividades de acolhimento, como orientações sobre como acessar a sala de aula virtual, as atividades impressas, além dos protocolos de biossegurança para o retorno presencial. O modelo de ensino remoto, afirma, será por meio das atividades educacionais complementares de apoio à aprendizagem".

A primeira semana do calendário letivo é, também, o prazo final para que as famílias respondam ao termo de manifestação de interesse, por meio do qual dirão se os alunos do Ensino Fundamental e dos grupos 5 e 6 da Educação Infantil retornarão presencialmente às aulas. Para os alunos do Fundamental, segundo informações do site da prefeitura, em caso de necessidade haverá revezamento semanal, com um grupo em casa e outro na escola. Já as crianças da Educação Infantil não terão revezamento.

Autonomia para organização de rodízios

As escolas terão autonomia para organizarem os rodízios em sala, diz o site da Prefeitura Municipal de Vila Velha. O formato de ensino híbrido será efetivado por meio da plataforma Google Sala de Aula, na qual o aluno que estiver naquela semana do revezamento, em casa, terá as suas atividades e conteúdos mediados na plataforma pelo professor. O rodízio será semanal, obedecendo os protocolos de segurança da Covid-19, contando também com o monitoramento das atividades, tanto dos alunos que estão presentes quanto dos que estão na forma remota.

Os gestores de cada unidade municipal irão estabelecer contato direto com a família e conduzir o planejamento e monitoramento das atividades. Eles irão informar de qual semana cada criança faz parte, mas cabe aos pais decidirem se a criança vai ou não para a escola. A escola deve organizar suas salas de aulas considerando as normas sanitárias e identificando os alunos que estarão presentes na primeira semana de escalonamento presencial e os alunos da semana seguinte.

Os gestores foram orientados a dividir as turmas levando em consideração situações sociais e individuais dos alunos, assim como comunicar às famílias sobre a forma escalonada, sempre observando a Matriz de Risco do governo do Estado. Caso o aluno não tenha um computador ou acesso à plataforma, ele poderá retirar as suas atividades impressas nas Unidades Municipais de Ensino. 

Cariacica e Serra

Em Cariacica, no dia dois de março serão iniciadas as aulas das turmas do Ensino Fundamental II. Os estudantes do Ensino Fundamental I começam a estudar no dia 16 de março. Já as crianças matriculadas na Educação Infantil começam a ter aulas no dia 30 de março. Haverá, pelo menos, três perfis de escalonamento, considerando a característica estrutural de cada escola: 25%, 30% e 50% de alunos. O calendário da EJA será publicado posteriormente, pois ainda está encerrando o ano letivo de 2020.

Na Serra a volta às aulas está prevista para o dia 1º de março, com 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). No dia 15 de março é a vez da volta do 6º e 7º anos. Já os alunos do 1º ao 5º ano voltam no dia 29 de março. Segundo a prefeitura, após fazer vistorias, foi constatada a necessidade de realizar obras para deixar as unidades mais arejadas. Ao todo, 39 unidades precisaram de reformas, sendo 24 EMEFs e 15 CMEIs. Entre as principais melhorias, informa a gestão de Sérgio Vidigal (PDT), estão a construção de banheiros, abertura de janelas para ampliar a ventilação natural e a instalação de ventiladores de teto.

Canal de denúncia

O retorno às aulas no sistema híbrido não é uma unanimidade entre os profissionais da educação. Coletivos de professores, por exemplo, acreditam que não há condições de colocar em prática os protocolos de segurança sanitária e que as aulas deveriam retornar somente após a vacinação dos profissionais da educação. 

Um desses coletivos é o Educação pela Base, que pretende criar um canal de denúncias para casos em que não há distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), espaçamento devido e ouras ações necessárias para prevenção à Covid-19. De acordo com a professora e uma das integrantes do Educação pela Base, Liu Katrini, há escolas em que nem ao menos há laboratórios de informática ou computador para todos, impossibilitando as aulas remotas. Ela afirma que ainda não há previsão de quando o canal irá entrar em vigor, mas destaca que os professores poderão fazer as denúncias de forma anônima. 

Já existem outras duas iniciativas desse tipo. Uma é do deputado estadual Sérgio Majeski (PSB), que disponibilizou o recurso em seu site. Outra é do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), que fez o mesmo em seu portal, e do Coletivo Resistência e Luta, por meio de suas redes sociais. 

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 02 Março 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection