Sexta, 24 Setembro 2021

UNE convoca estudantes para assinar carta pelo impeachment de Bolsonaro

protesto_estudantes_arquivopessoal Arquivo Pessoal

A União Nacional dos Estudantes (UNE) divulgou, nesta terça-feira (14), uma carta aberta pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. A entidade convoca os estudantes para assinar o documento, que também fala sobre os próximos atos contra o líder do executivo, marcados para o dia 2 de outubro. Para representantes do movimento estudantil no Espírito Santo, as manifestações serão as maiores realizadas até então.

A carta da UNE destaca a união de amplos setores pelo "Fora Bolsonaro" e ressalta que este ano tem sido marcado pelas consequências da "política genocida e antidemocrática" do presidente da República.

"Pelas decisões políticas do governo federal, o país tem enfrentado aprofundamento da crise econômica, social e política, com aumento do desemprego, da vulnerabilidade social e fome, além dos desafios impostos pelo retorno às aulas presenciais e continuidade das pesquisas. E mesmo com esse cenário, na semana que o Brasil se aproxima da marca de 600 mil mortos pelo coronavírus, Bolsonaro tem como agenda prioritária inflar a população para uma ruptura institucional, como mostrou no último dia 7 de setembro, agravando, ainda mais, a instabilidade das instituições democráticas, ao mesmo tempo em que negligencia a morte e a fome que atingem milhares de brasileiros", diz um trecho do manifesto.

Para a entidade, a única solução para enfrentar as ações golpistas da gestão Bolsonaro, bem como o seu projeto de destruição nacional, é a mobilização nas ruas e, por isso, convoca os grêmios, coletivos e centros acadêmicos de todo o Brasil a participarem dos atos do dia 2 de outubro.

Maria Eduarda Mondaini, representante da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) no Espírito Santo, acredita que as mobilizações serão as mais expressivas dentre as que já foram realizadas na agenda de protestos pelo impeachment de Bolsonaro. "A gente está tentando mobilizar todo mundo, estudantes, trabalhadores, acredito que vai ser a maior manifestação de todas", enfatiza.

A representante da União Nacional dos Estudantes (UNE) no Espírito Santo, Emanuelle Kisse, aponta que este é um novo momento na agenda de lutas contra o presidente, principalmente em razão das recentes fragilizações da gestão. De acordo com ela, entidades estudantis capixabas irão se reunir ainda esta semana para conversar sobre as mobilizações no Estado.

"A gente tem visto, depois do 7 de setembro, como isso expressou que o governo está fragilizado. A base social que eles queriam que fosse para as ruas estava muito menor do que os organizadores esperavam. A partir desse momento, há um novo período de mobilização pelo 'Fora Bolsonaro', mais amplo e massivo", destaca.

A carta divulgada nesta terça-feira (14) é encabeçada pela UNE, pela Ubes e pela Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG). O manifesto ressalta a importância da construção de um calendário de lutas e mobilizações estudantis contra o presidente.

"E mais uma vez, a história convoca os estudantes brasileiros a continuarem seu papel de protagonismo nesse processo. É hora de mobilizarmos a rede do movimento estudantil em grandes passeatas. Defender as liberdades democráticas e a União Nacional dos Estudantes contra qualquer ataque autoritário. É preciso dar continuidade a esse processo de mobilização com responsabilidade, coesão, unidade e amplitude. A ampliação da oposição ao governo Bolsonaro nas ruas inaugura uma nova fase da nossa luta, e cria mais condições de vitórias do que nunca", destaca outro trecho da carta.

Enem

Nessa agenda de lutas, uma das conquistas recentes do movimento estudantil foi a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela reabertura do período para pedidos de isenção no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Nesta terça-feira (14), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) reabriu o prazo para os estudantes de baixa renda que tiveram isenção da taxa em 2020 e não compareceram às provas.

O novo prazo foi aberto após uma ação ajuizada por entidades mobilizadas na defesa da educação junto ao STF. Os estudantes podem pedir a isenção até o dia 26 de setembro e as inscrições são exclusivas para o Enem impresso. De acordo com as informações publicadas no Diário Oficial, os isentos ausentes no Enem 2020 também poderão solicitar, até 27 de setembro, o atendimento especializado e tratamento pelo nome social.

Para quem for solicitar isenção nesse novo prazo, as provas serão aplicadas em 9 e 16 de janeiro de 2022, quando o exame também será aplicado para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL).

Pode reivindicar a gratuidade o estudante que estiver cursando o terceiro ano do ensino médio em uma escola pública, tiver feito todo o ensino médio em escola pública ou como bolsista integral em escola particular, ou tiver renda familiar mensal de até três salários mínimos.
...

Ato em Vitória marca mobilização nacional do Dia do Estudante - Século Diário

Protestos em várias cidades do País denunciaram os cortes na educação e voltaram a cobrar o impeachment de Bolsonaro

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 24 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/