Domingo, 14 Julho 2024

Chapa com Theodorico Ferraço e Júnior Corrêa em Cachoeiro está encaminhada

ferraco_junior_maos_dadas_redes Redes Sociais
Redes Sociais

No último dia 28 de maio, o vereador Júnior Corrêa (Novo) convocou entrevista coletiva para dizer que estava "reconsiderando" a possibilidade de participar da disputa majoritária em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado. Entretanto, se recusou a confirmar que entraria como vice na chapa do deputado estadual Theodorico Ferraço (PP), situação que eles haviam deixado no ar alguns dias antes. Desde então, os dois não se cansam de fazer gestos públicos indicando que a chapa conjunta está prestes a se concretizar.

Nessa sexta-feira (14), Ferraço postou em suas redes sociais uma foto emblemática, em que os dois aparecem de mãos dadas. A imagem foi registrada após um almoço com empresários, realizado em uma empresa de rochas ornamentais. Na quarta-feira (12), os dois também estiveram lado a lado em reunião na Câmara de Vereadores sobre o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e da Taxa de Lixo.

Segundo apuração de Século Diário nos bastidores locais, a chapa com Theodorico Ferraço e Júnior Corrêa está encaminhada, e deverá ser lançada oficialmente no próximo dia 11 de julho. Ainda não houve confirmação oficial pelo simples fato de que tudo está sempre sujeito a mudar até o prazo final das convenções e do registro, mas, internamente, todo o trabalho segue essa perspectiva.

Ferraço e Corrêa têm traçado um caminho tortuoso nesta pré-campanha eleitoral. Com 86 anos, o deputado estadual, que foi prefeito de Cachoeiro em quatro mandatos, sempre foi um entusiasta da candidatura a prefeito do jovem Júnior Corrêa, que completará 28 anos em novembro.

Juninho da Cofril – como também é conhecido, em referência à empresa de sua família – era apontado como o favorito nas eleições deste ano. Entretanto, o vereador de extrema direita deixou o público de queixo caído ao anunciar, em fevereiro, que abandonaria a política para tentar se ordenar como padre. Dias antes, ele havia divulgado um comunicado que tratava de conflitos seus com o senador Magno Malta no Partido Liberal (PL), sigla na qual estava filiado na época.

Sem o candidato favorito, o setor empresarial correu para Theodorico Ferraço, pedindo que o deputado se colocasse na disputa majoritária cachoeirense pelo Progressistas. Com a possibilidade no horizonte de firmar uma aliança entre PP, Novo e Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Ferraço colocou o seu nome e o de sua esposa, Norma Ayub (PP), como pré-candidatos. Após pesquisas eleitorais, lançou-se definitivamente no páreo.

Paralelamente, Theodorico intensificou diálogos com Júnior Corrêa na tentativa de convencê-lo a voltar atrás em seus planos de abandonar a política – e deu certo. Em primeiro lugar, Corrêa desistiu de se licenciar do mandato de vereador, alegando impedimentos do Regimento Interno da Câmara. Depois, migrou do PL para o Novo, contrariando a indiferença manifestada inicialmente com relação ao seu destino partidário.

No mês passado, a possibilidade de Corrêa ser vice de Ferraço começou a ser especulada no mercado eleitoral, e a chapa foi tomando forma. Caso Theodorico consiga se eleger, tudo indica que Júnior será um vice-prefeito com voz ativa na gestão.

Outros pré-candidatos

Carlos Casteglione (PT), que também foi prefeito de Cachoeiro de 2009 a 2016, deu início, nessa sexta-feira (14), aos preparativos do plano de governo de sua pré-candidatura. Na semana passada, ele deixou o cargo de subsecretário de Estado do Trabalho, Emprego e Geração de Renda, que ocupava desde 2022. Ele se diz firme no propósito de tentar retornar ao Poder Executivo cachoeirense, mesmo que o governador apoie a pré-candidata governista Lorena Vasques (PSB).

No campo governista, Lorena Vasques deixou as secretarias municipais de Obras e de Manutenção e Serviços, na semana passada, para ser lançada oficialmente pré-candidata a prefeita, dando fim às especulações que perduravam desde o segundo semestre do ano passado. O Partido Democrático Trabalhista (PDT) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) têm sinalizado com apoio a Lorena.

Na direita, o advogado Diego Libardi (Republicanos) realizará um evento de lançamento da sua pré-candidatura a prefeito na próxima segunda-feira (24), às 19h. Ele tem o apoio dos deputados estaduais Allan Ferreira (Podemos) e Dr. Bruno Resende (União), e a ex-secretária de Desenvolvimento Social Márcia Bezerra (PRD) é uma das figuras cotadas para ser vice em sua chapa.

Diego Libardi deverá contar com uma aliança de seis partidos: além do Republicanos, União Brasil, Podemos, Agir, Partido Renovação Democrática (PRD) e Partido Social Democrático (PSD). Entretanto, ainda há dúvidas sobre o posicionamento do Podemos, tendo em vista que seu presidente estadual, o deputado federal Gilson Daniel, não quer a sigla apoiando uma candidatura contrária aos planos do governo do Estado.

Na extrema direita, o vereador Léo Camargo (PL) se viu obrigado a entrar na disputa majoritária deste ano, tendo em vista que Júnior Corrêa anunciou sua desistência em fevereiro e logo depois deixou o Partido Liberal. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 15 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/