Sexta, 21 Junho 2024

Ferraço e Júnior Corrêa articulam com partido Novo em Cachoeiro

cachoeiro_ferraco_correa_novo_redessociais Redes Sociais

Integrantes do diretório do partido Novo de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado, se reuniram, nessa quinta-feira (21), com representantes do Progressistas (PP) e do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), para discutirem o cenário eleitoral de 2024 e uma possível aliança. O que mais chamou a atenção nas fotos do encontro foi a presença do deputado estadual e ex-prefeito Theodorico Ferraço (PP) e do vereador de extrema direita Júnior Corrêa (PL).

Eliud Martins, presidente municipal do Novo; Theodorico Ferraço; Eneyda Grillo, assessora de Júnior Corrêa (ao lado); e Luciano Lintz Jr., vice-presidente estadual do Novo. Foto: Redes Sociais

Corrêa era, até fevereiro deste ano, considerado o pré-candidato a prefeito favorito para a disputa em Cachoeiro nas eleições municipais de outubro. Após um embate com o senador Magno Malta dentro do Partido Liberal (PL), ele surpreendeu a todos anunciando que abandonaria a vida política para se tornar padre.

Entretanto, sua presença em um encontro de articulação partidária revela que ele pretende continuar atuando politicamente no cenário local – e indo contra o pré-candidato que assumiu seu lugar no PL, o também vereador bolsonarista Léo Camargo, a quem Corrêa já classificou publicamente como "despreparado" para a disputa majoritária em 2024.

Com a saída de Corrêa, tanto Ferraço quanto sua esposa, a ex-prefeita de Itapemirim e ex-deputada federal Norma Ayub, entraram no páreo eleitoral como pré-candidatos à Prefeitura de Cachoeiro pelo PP. Dos dois, o mais provável seria que o nome escolhido fosse o de Norma, tendo em vista a idade avançada e a situação de saúde de Ferraço. A ex-prefeita de Itapemirim, inclusive, estaria bem cotada em pesquisas eleitorais internas, segundo uma fonte próxima dos meios políticos cachoeirenses.

"Foi uma conversa debatendo o cenário político e a possibilidade de um nome vir como pré-candidato a prefeito. Só que não ficou nada definido, está em construção. O Ferraço é o nome mais forte, é um nome que Cachoeiro deseja e várias pessoas no segmento produtivo e na população desejam. Mas ele mesmo deixou aberto", afirma o presidente do diretório municipal do Novo, Eliud Martins.

Segundo Eliud, durante o encontro, houve uma conversa particular entre Ferraço e Corrêa. "A conversa entre os dois, eu não participei. Mas acredito que tenha sido o que maioria da população quer, que é para Júnior Corrêa voltar a ser candidato. E o Ferraço deixa muito bem claro isso, que o candidato dele era o Júnior Correa. O Novo mesmo tinha uma aproximação e iria apoiar Júnior, e sempre deixou muito claro que se ele quisesse vir para o Novo, ele não seria recebido com um tapete vermelho, seria com um tapete laranja, que é a cor do partido", relata.

Com os movimentos do Novo, o médico Marlus Thompson anunciou a sua desfiliação da sigla, na qual figurava como vice-presidente em Cachoeiro. Thompson não concorda com a aliança com o PP e classificou sua decisão como "triste", mas negou qualquer briga pessoal com seus colegas. Eliud Martins preferiu não fazer declarações adicionais sobre o assunto

Mais articulações

Cachoeiro também têm na disputa para a prefeitura o grupo dos pré-candidatos aliados Diego Libardi, secretário de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho de Vitória; Bruno Resende (União) e Allan Ferreira (Podemos), deputados estaduais; e Márcia Bezerra (PRD), ex-secretária de Desenvolvimento Social de Cachoeiro.

Segundo informações de bastidores, Resende estaria disposto a cumprir o acordo de apenas um deles se candidatar, desde que a sua esposa, Rafaela Donadeli, entrasse como vice na chapa. Já Libardi e Ferreira estão mais propensos a lutar pela cabeça da chapa, ainda que esse último esteja sendo desestimulado por pessoas próximas, que entendem ainda não ser o momento para encarar uma disputa majoritária. Márcia Bezerra, por sua vez, dificilmente conseguirá viabilizar uma candidatura a prefeita com apoios substanciais.

No campo progressista, caminha-se para uma união de forças em torno do pré-candidato a prefeito Carlos Casteglione (PT), que já comandou o Poder Executivo municipal em duas oportunidades. Nessa quarta-feira (20), foi anunciado o acordo entre a federação partidária formada por Rede Sustentabilidade e Partido e Socialismo e Liberdade (Psol) e Federação Brasil da Esperança, composta por Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Verde (PV) e Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

No campo do prefeito Victor Coelho, mais ao centro em termos políticos, a pré-candidatura colocada é a da secretária municipal de Obras e Manutenção e Serviços, Lorena Vasques, e a direção estadual do Partido Socialista Brasileiro (PSB) tem bancado a escolha do prefeito.

Rede e Psol confirmam apoio a Carlos Casteglione em Cachoeiro

Pré-candidato do PT a prefeito avança em articulações para unificação da esquerda nas eleições municipais
https://www.seculodiario.com.br/politica/rede-e-psol-confirmam-apoio-a-carlos-casteglione-em-cachoeiro

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 21 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/