Sábado, 15 Junho 2024

Victor Coelho aposta em obras e empréstimo no fim do mandato

victor_coelho_marcia_leal_pmci Márcia Leal/PMCI

Em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado, dois assuntos principais passaram a dominar a pauta do fim do segundo mandato consecutivo do prefeito Victor Coelho (PSB). O primeiro deles diz respeito às obras de macrodrenagem, iniciadas no primeiro semestre de 2023, que prometem acabar com o histórico de alagamentos na região do bairro Nova Brasília. O segundo, mais recente, está relacionado à intenção da prefeitura de contrair um empréstimo de 50 milhões de dólares.

Quem tende a lucrar ou perder com os resultados das duas medidas é o sucessor de Coelho, tendo em vista que o atual prefeito está na reta final de sua gestão, e os impactos deverão ser sentidos em um prazo mais alongado. Por enquanto, Victor tem se esforçado para que a atual secretária das pastas de Obras e Manutenção e Serviços, Lorena Vasques (PSB), seja a herdeira de seu legado.

Márcia Leal/PMCI

As obras de macrodrenagem são realizadas com um investimento de R$ 55, 2 milhões da gestão do governador Renato Casagrande (PSB), principal aliado de Victor Coelho, e estão bastante adiantadas, mas as reclamações sobre os transtornos causados pelas intervenções são constantes.

Recentemente, durante um dia de chuva intensa, imagens de alagamentos no bairro Guandu, nas proximidades das intervenções, com pessoas escorregando e sendo levadas pelas águas viralizaram nas redes sociais, motivando críticas de oposicionistas a respeito da qualidade e eficiência futura das obras. Sobrou para a supersecretária Lorena Vasques ir a público argumentar que o trabalho ainda não foi concluído e os transtornos serão compensados lá na frente.

Já a intenção de pegar um empréstimo milionário com a Corporação Andina de Fomento (CAF) foi anunciada no último dia 27 de fevereiro. O dinheiro serviria para obras de grande porte, driblando a reconhecida dificuldade do município de fazer investimentos com recursos próprios.

Entre as diversas intervenções planejadas estão a conclusão do Parque da Ilha da Luz e da Vila Olímpica – esta última, pendente há mais de uma década –, construção de viaduto no bairro Caiçara, requalificação urbana da região central da cidade, e nova macrodrenagem na região do bairro Gilberto Machado.

Ousado, o pacote de Victor Coelho também inspira resistências, e o presidente da Câmara de Vereadores, Brás Zagotto (Podemos), aliado do prefeito, já deixou claro que não será fácil a aprovação do empréstimo na Casa. O deputado estadual Callegari, presidente do diretório municipal do Partido Liberal (PL), que lançou o vereador Léo Camargo como pré-candidato a prefeito, disparou contra a iniciativa da gestão atual em suas redes sociais, nessa terça-feira (5)

"Victor Coelho está deixando o Centro da cidade destruído, com obras mal organizadas, como vocês estão vendo aí. Que confiança podemos ter numa administração dessas, em dar um empréstimo tão vultoso, tão imenso, que não será pago por esta administração?", criticou.

No lançamento de sua pré-candidatura a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores (PT), no último dia 1º de Março, Carlos Casteglione, que sonha com um apoio de Casagrande, também cutucou Victor Coelho.

"Pena que a gestão das obras não seja lá uma coisa tão eficiente. Mas precisamos manter as parcerias com o governo do Estado e nos reaproximar do governo federal. Porque, com a baixa capacidade de investimento, precisamos fazer parcerias – e aí, também, para evitar possíveis aberturas de empréstimo que a gente nem sabe se tem capacidade, se pode comprometer a receita", comentou.

Movimentações eleitorais

Callegari tem tentado garantir o apoio do deputado estadual e ex-prefeito Theodorico Ferraço (PP) à pré-candidatura de Léo Camargo, após o baque com a desistência do vereador Júnior Corrêa, que anunciou que deseja largar a política para se tornar padre.

Apesar disso, o Progressistas tem avaliado a possibilidade de uma candidatura própria. Entre os nomes submetidos a pesquisas estão os da ex-deputada e ex-prefeita de Itapemirim Norma Ayub; do coronel da Polícia Militar Fabricio Martins; e o do empresário e presidente da Associação Comercial de Cachoeiro (Acisci), Roberval Rocha.

No último dia 17 de fevereiro, foi a vez de o Podemos oficializar o deputado estadual Allan Ferreira como pré-candidato a prefeito. Ferreira tem feito reuniões com o setor empresarial da cidade. Entretanto, tudo dependerá da negociação com os também pré-candidatos aliados Diego Libardi (secretário de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho de Vitória, do Republicanos), Bruno Resende (deputado estadual, do União) e Márcia Bezerra (ex-secretária de Desenvolvimento Social de Cachoeiro, do PRD).

O empresário Wesley Correa também se lançou como pré-candidato pela Rede Sustentabilidade, mas a federação que a sua sigla forma com o Partido Socialismo e Liberdade (Psol) dialoga com Carlos Casteglione.


‘Victor Coelho faz um governo razoável’, afirma Carlos Casteglione

Petista fala sobre pré-candidatura a prefeito de Cachoeiro, mas evita críticas ao atual mandatário
https://www.seculodiario.com.br/politica/victor-coelho-faz-um-governo-razoavel

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 16 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/