Sexta, 17 Setembro 2021

Falhas em medidas de prevenção nas escolas têm mais um canal de denúncia

criancas_bebedouro_fernando_frazao_agencia_brasil Fernando Frazão/Agência Brasil

Diante do receio do retorno às aulas presenciais, compartilhado por trabalhadores da Educação e famílias de estudantes, mais um canal de denúncias sobre descumprimento de medidas de segurança contra Covid-19 foi criado no Estado, desta vez, pelo Núcleo da Infância e Juventude (Nudin) da Defensoria Pública (DPES).

O formulário online aborda questões como saneamento, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), número elevado de alunos em sala e aglomerações.

Para o Nudin, é importante que escolas, sejam públicas ou particulares, possuam estrutura adequada, com espaços arejados e que permitam o espaçamento entre alunos e professores, além do fornecimento adequado de água, sabão e outros itens essenciais à higiene e sanitização.

Além das questões relacionadas ao não cumprimento dos protocolos de saúde e da ausência do distanciamento social, o questionário também quer verificar a existência de problemas físicos nas escolas, como a não distribuição da merenda escolar, a falta de alternativa para os alunos que optem por acompanhar as atividades escolares remotamente, e uma possível subnotificação de casos de contaminação ao vírus.

Há preocupação também com a formação dos trabalhadores da educação em relação aos novos aspectos da pandemia e a necessidade de atendimento aos protocolos estabelecidos.

O defensor público Renzo Gama Soares destaca que é fundamental que a retomada das atividades presenciais das escolas seja cercada de cuidado e de atenção ao vírus. "Alguns se sentem, de fato, seguros com as aulas presenciais, outros não. Por isso é importante que as escolas, públicas e privadas mantenham disponível a alternativa de Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNP), tanto em meio digital quanto por meio físico", afirma.

Outros canais

Em fevereiro, o mandato do deputado Sergio Majeski (PSB) criou canal semelhante de denúncias sobre o retorno das aulas presenciais nas 470 escolas públicas estaduais.

Já o Coletivo Resistência e Luta Educação ES recebe em suas redes sociais, também desde fevereiro, denúncias sobre problemas nas escolas, com ênfase em quadros incompletos de professores nas escolas municipais e estaduais.

Sem investimentos, sem preparo

Para a União dos Conselheiros Municipais de Educação do Espírito Santo (Uncme-ES), nenhuma rede municipal está em condições plenas de retorno das aulas presenciais, não havendo ainda, sequer, condições epidemiológicas para tal reabertura, já que o Espírito Santo ainda não atende aos oito indicadores da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) que oferecem um contexto de pandemia controlada.

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 17 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/