Sexta, 22 Outubro 2021

Estado vai cuidar de grupos prioritários e deixar faixas etárias com municípios

limpeza_Publica_leonardo_sa-076 Leonardo Sá
Leonardo Sá

Trabalhadores da limpeza pública e da indústria, caminhoneiros e população privada de liberdade serão os próximos grupos prioritários para vacinação contra a Covid-19 já aprovados no Espírito Santo, segundo anunciou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (14), ao lado do subsecretário de Estado de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin.

Esses e os próximos grupos que venham a ser definidos devem ter suas campanhas de imunização coordenadas diretamente pelo governo do Estado, com apoio de equipes parceiras. A proposta foi feita pela Sesa e está em análise, com definição prevista para os próximos dias. Com isso, explicou o secretário, os municípios poderão se dedicar a avançar com a aplicação da primeira e segunda doses - D1 e D2 - nas pessoas agendadas por faixas etárias e nas que pertencem aos grupos prioritários já estabelecidos no Plano Nacional de Imunização (PNI).

"Acreditamos que até o início de julho, quando avançarmos sobre novos grupos prioritários, o governo possa colaborar com os municípios ativamente para acelerar a imunização no Estado", disse Nésio Fernandes, reafirmando o pedido já feito aos municípios para que "avancem na vacinação em três turnos", para facilitar o acesso da população trabalhadora que tem dificuldade de se dirigir às salas de vacinação em horário comercial.

No momento, entre a população idosa, com mais de 60 anos, das 568 mil pessoas que receberam a primeira dose, apenas 328 mil receberam a segunda, o que significa que há 240 mil ainda com o esquema vacinal incompleto.

Dessas, 50 mil aguardam a regularização da produção da Coronavac pelo Instituto Butantan, prometida inicialmente para a primeira quinzena de junho, mas com novo prazo adiado para até o final deste mês. Outra parte ainda não teve o prazo da segunda dose da AstraZeneca vencido, o que deve acontecer nas próximas duas semanas.

Há ainda uma parte desse público idoso que está em atraso, mesmo com a vacina já disponível. Sobre essas pessoas, os gestores da Sesa reforçaram o pedido para que os tutores e responsáveis por esses idosos providenciem o agendamento e aplicação do imunizante. "Há uma responsabilidade inclusive legal dessas pessoas que têm a tutela de seus idosos", salientou Reblin.

O Estado aguarda a chegada de aproximadamente 20 mil doses de Coronavac pelos próximos dias (2% de um lote nacional de um milhão de doses) e provavelmente mais 60 mil de um segundo lote nacional de três milhões de doses, o que será mais do que suficiente para atender aos 50 mil capixabas que estão em atraso com a D2 do imunizante do Butantan.

Janssen, Covaxin e Sputinik

Sobre a vacina da Janssen, é aguardada a chegada de 59 mil doses ao Estado, que serão direcionadas aos quatro maiores municípios da região metropolitana – Serra, Vila Velha, Cariacica e Vitória – segundo decisão da Comissão Intergestores Tripartite (CIB), que priorizou a capacidade logística mais rápida na região.

Os municípios pactuaram aplicar as doses em 48 horas. Sendo uma vacina de dose única, esse lote, mesmo pequeno, tem "eficácia capaz de contribuir com a ruptura da cadeia de transmissão do vírus", acentuou o secretário Nésio. "Vamos receber as doses em data próxima ao vencimento. Mesmo com postergação do prazo de validade pela indústria, achamos oportuno aplicação de todas as doses da Janssen na Grande Vitória".

O Estado aguarda ainda a definição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre adoção da Covaxin e da Sputinik V, para fazer uma projeção cronológica mais concreta de vacinação por grupos etários.

'Viana Vacinada'

Os gestores da Sesa ainda destacaram a importância do Dia D de vacinação no município de Viana, realizado nesse domingo (13), dentro do projeto Viana Vacinada. "O dia 13 de junho foi um dia importante para a ciência capixaba", declarou Nésio Fernandes.

Das 35 mil pessoas com idades entre 18 e 49 anos, alvo da iniciativa, 15 mil agendaram sua imunização para o Dia D e 14 mil compareceram. As demais 21 mil têm mais seis dias para aderir e todos serão acompanhados pelo projeto durante os próximos 12 meses.

O projeto aplica meia dose da AstraZeneca, para confirmar em campo a eficácia já demonstrada em estudos de fase 2 e 3 da própria fabricante. "Não temos dúvida de que a meia dose irá promover uma proteção imunológica na população alcançada pelo estudo. Acreditamos que será possível reduzir no mínimo em 60% a incidência de casos no município", disse.

Plataforma estadual

Nésio e Reblin também anunciaram o andamento da implantação de uma plataforma estadual para registro das vacinas aplicadas no Estado, que irá substituir a plataforma nacional Localiza SUS, devido aos atrasos seguidamente ocorridos na informação dos dados cadastrados não só pelo Espírito Santo, mas por outras unidades da federação.

Na próxima quarta-feira (16) será feita a gravação de vídeos, como parte de um treinamento que os municípios receberão para utilização da nova tecnologia. "Dez municípios estão sendo selecionados e participação de um dia de treinamento. A gravação audiovisual desse treinamento será disponibilizado aos demais municípios até o final da próxima semana".

A nova plataforma foi desenvolvida por estudantes e professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e disponibilizada ao Espírito Santo. Entre suas funcionalidades, está a previsão de envio de mensagens de SMS às pessoas, sete dias antes de vencer o prazo de recebimento da segunda dose, na véspera do prazo final, e, caso a pessoa não respeite o prazo, receberá mensagens por mais três vezes, a cada três dias.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 22 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/